domingo, 18 de janeiro de 2009

Entrega

Eu obedeço a força maior
que vive em mim
que manda eu saltar sem destino
Confio na voz que diz para eu ir
Quero ser livre das minhas razões
abrir alma, sexto sentido, coração
Eu só quero viver!
Só com as regras da intuição
Desenhando um plano a lápis
com a cor das ânsias minhas
Eu sei direitinho onde vou chegar
Só não sei como.
Não importa:
meu Guia é grande, infinito.....

Medo do navegar




Abrir uma porta me dá medo
Que será que tem aí atrás?
Estrelas, sóis, azuis
Florestas, montanhas, mares
Dragão, serpente, monstros?

Será que aí serei feliz
serei mais triste
ou nada muda?

Novos horizontes
E só Deus sabe onde vai dar!


E se for escuro?
E se for sozinho?
E se.... eu não conseguir
vencer o medo de entrar?

Se entro,
e houver trevas
poderei ser luz sozinha?

Saberei eu navegar
em mares nunca antes navegados?


E fico, mão na maçaneta
esperando a coragem
encher meus pulmões de 2009....