segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Xis


A vida é uma imagem instantânea
Uma fração de segundo congelado
Em um sorriso, em um encanto
Que efêmero termina

O que vale a pena
É o sorriso da moça
perdido na imensidão da janela
A nuvem decolando no telhado
Um assovio de canção

O que é feliz
É o abraço espontâneo
O frio da barriga
Do momento que antecede o gol.
Os olhos que contam aviões

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Dança


Ele dizia tantas coisas
Me prometia a lua
E os astros que viviam em mim
queimavam como o sol,
Colorindo minha face.
Ele sorria
como o céu inteiro cheio de estrelas.
As mãos dele em minha cintura
As minhas mãos suadas e frias
enlaçadas se encontravam
no pescoço dele
Proximidade que eu desejava
mas que tímida,
me baixava o olhar.
A voz repetia
Vem amada,
bailar outras danças
Outras vidas, outros astros,
outros encantos
Deixa eu te conduzir
por outros ritmos
Deixa ser teu
E a valsa girava meus pensamentos
E dançava dentro de mim
toda crença toda descrença,
Toda alegria todo medo toda dor
E um dia nascia de manso
Resplandecendo a mulher que eu era
E que acabara de ser encontrada

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Femenina

Soy mujer
hecha de sonrisa
alegria y llanto.
Soy ojos de esperanza
enciendo luz
en los corazones oscuros de los hombres
Tranquilizo angústias con un beso
Lleno pulmones con suspiros soñadores.
Soy la que da la vida
Soy la que te hace vivir