quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Dança


Ele dizia tantas coisas
Me prometia a lua
E os astros que viviam em mim
queimavam como o sol,
Colorindo minha face.
Ele sorria
como o céu inteiro cheio de estrelas.
As mãos dele em minha cintura
As minhas mãos suadas e frias
enlaçadas se encontravam
no pescoço dele
Proximidade que eu desejava
mas que tímida,
me baixava o olhar.
A voz repetia
Vem amada,
bailar outras danças
Outras vidas, outros astros,
outros encantos
Deixa eu te conduzir
por outros ritmos
Deixa ser teu
E a valsa girava meus pensamentos
E dançava dentro de mim
toda crença toda descrença,
Toda alegria todo medo toda dor
E um dia nascia de manso
Resplandecendo a mulher que eu era
E que acabara de ser encontrada