segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Ao Senhor do Vento



Eu passei por muitas cidades, senhor dos ventos
Vivi em muitos povoados múltiplos papéis.
Quis terminar quieta os dias de minha vida
enterrei as armas,
criei uma rotina protetora em torno a mim.
Hoje sei que fugia de meu destino.

As batalhas vinham até mim
suplicando minha volta
e quanto mais eu fugia, mas a espada gemia
sem deixar-me dormir com seus lamentos.

Levaram tudo o que eu tinha
meu coração, meus anseios, meus escritos.
Se aproveitaram de meu silencio,
de minhas fragilidades,
da minha dor.

Agora cá estou senhor, pronta para lutar por justiça
por minha paz, vencer a batalha desta vida
assumir o papel a mim destinado
de me guiar com a luz de meu coração
para onde o vento meu senhor, me levar


terça-feira, 23 de novembro de 2010

Ser

Sabe quando a gente sai na rua
e uma pessoa te olha dizendo como
"que feia é ela" e você nem liga
porque não se sente assim?
Aí, passados dois quarteirões
outro olhar dizendo tipo
" ela é linda" e você nem acredita
porque sabe não sentir assim?

Sabe quando a gente sai na rua
e quer apenas ser
andar, sentir, flutuar
cabeça lá longe
deixando os pensamentos fluírem loucos na cabeça
com um sorriso inerte no rosto?
Não querer o julgamento do outro
a aprovação de alguém para alguma coisa
Apenas ser o que se é?

Eu só quero ser,
sem ser mais ou menos que ninguém
ocupar um lugar no espaço,
pensar,
pois assim
logo
existo.
Simples assim.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Hora de ir embora



Tenho a impressão de que o sangue que corre em mim é cigano
porque não consigo sossegar em um lugar
Não porque não quero estar aí
mas sim porque tudo me empurra para fora
para a estrada
e o que me empurra me machuca
me arde
E toda dolorida volto a caminhar por ai
cabeça cansada
pele queimada de sol
Desorientada sem saber bem para onde ir
Mala pesada nos ombros
Sapatos apertando os pés
Para todo mundo sorrindo
Para dentro, lágrimas aprisionadas


Eu só queria colo, um abraço, uma defesa
Eu só queria não estar só

sábado, 25 de setembro de 2010

Nova fase dançarina: rodando a baiana


Depois de um tempo inanimada
resolvi imitar à Cristo, quando entrou no templo
Revirei as mesas, atirei as cadeiras longe
e fiz voar todos os pombinhos presos nas gaiolas
Aí sobrou espaço no salão da alma
para o grande baile de beleza
de liberdade nos exercícios sincronizados
quadris para cá e para lá
coração na rumba
pernas no tango
braços e ombros na bachata
cabeça no ritmo da música eletrônica
Tudo ao mesmo tempo
tudo movimentando para todos os lados
os pés saltando numa ginástica olímpica
livre
leve
solta
nova
bela
rebelde
cheia de personalidade
repleta de força
pronta para a batalha
Vou caminhando
e o que eu busco é o sol
vou andando
e o que eu quero é brilhar
vou rodopiando
para confundir todo mundo
sigo rodando
sorrindo
porque eu sei exatamente quem eu sou.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Ragazza Bella


Estou na fase de repensar o passado
pensar no que aprendi com ele
Esquecer da dor
Reaprendendo cada movimento
a cada dia um passo novo
Devagar sentir cada conquista
Começar tudo de novo
bordar com cores diferentes
o caminho que seguirei.
Agora sei que minha cabeça constrói
para o bem e para o mal
E eu só quero plantar
colher flores no meu jardim
A dor me acompanhou por tanto tempo
e ainda vem me visitar... assim de repente
Mas estou abandonando-a pouco a pouco
Para sentir meu corpo livre
abençoado
em paz

quinta-feira, 24 de junho de 2010

A Pausa


A pausa te faz ver muitas coisas
até mesmo a graça de ver a vida passando
e você ali assistindo de camarote
a pressa alheia, o nervosismo alheio
até se dar conta que você era nervosa e tinha pressa
e que isso não resultou em nada plausível.
Percebe que as oportunidades não chegam
mas são construídas.
Percebe que ser malabarista atrapalha
a arte do viver.
A pausa também é perigosa
te faz sentir o desvalor
Mas também te faz valorizar outras coisas
e crescer sua afinidade consigo mesma.
A pausa é necessária. Conflitiva.
Difícil é dar-se esse presente.
Reconheçamos nossa necessidade de pausa
e deixemos nossas almas começarem a viver.
Porque as pausas proporcionam toda a energia
para todas as outras coisas.
É un renascer.

sábado, 5 de junho de 2010

Novelo



Hoje eu sinto vontade de me enrolar inteirinha
Sabe, quando você acha uma blusa de tricô
Fora de moda no fundo do armário
e resolve desmanchar todinha?
Queria assim. Pegar o fio da alma e enrolar
tudo num novelo, enroladinho
ver os pontos se desmanchando e sentir prazer
botar na prateleira do armário e ficar com 
aquela boa sensação de missão cumprida.
Esperar inspiração para, um belo dia, costurar ... tudo de novo .....
Mas, dessa vez, costurar algo mais durável

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Crônicas Hospitalares


Bom, depois de todo o susto, todo o nervosismo e o medo, chegou o grande dia. Internei às 6h da manhã. Minha irmã, morta de sono e com uma touca de lã enfiada na cabeça, me levou ao hospital. Por causa da agitação dela, o enfermeiro pensou que quem ia operar era ela. Ainda bem que consegui chegar a tempo de impedir o mal entendido. Vesti aquele aventalzinho ridiculo e fui para o centro cirúrgico. Lá as enfermeiras estavam animadésimas, como se aquilo fosse um parque de diversões. O meu médico chegou, bateu um papo comigo e lá fui eu para a sala de cirurgia. Chegando lá estava meu médico, num canto estudando meus exames, e as enfermeiras na maior animação. Eis que chega ele, o anestesista: um senhor gordinho de cara engraçada que diz: "que você tá fazendo aqui minha nega?" E eu respondo que era por culpa de uma hérnia de disco. E ele: " aff essa &#@&* se resolve com rebolation!". Pois é amigos, apaguei ouvindo uma discussão animada sobre que tipo de dança eu deveria fazer quando tivesse alta ( " dança do ventre é a mais dá hora, rebola tudo"; "Não, melhor dança cigana").
zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
Depois de dormir até umas horas, acordo com a enfermeira balançando um pote nojento na minha cara: era minha hérnia já devidamente embalada e etiquetada. Mas vamos aos fatos:
1- Seja bonzinho com os enfermeiros. Eu levei bastante chocolate para adoçar a vida eles. Isso fará com que eles sejam mais doces na hora de perfurar suas veias.
2- Quando te autorizam a sentar na cama você entende porque o Fábio Junior escreveu a música: "quando gira o mundo e alguém chega ao fundo de um ser humano".
3- Existe uma coisa chama Tramal e que os médicos dizem que é remédio para tirar a dor, mas é uma coisa que dá barato. Eu via coisas andando no teto, o chão parecia que balançava e minha cama se transformou em areia movediça. Eu pedi pelamor para o médico tirar essa coisa da minha lista de remédios, mas ele tava com medo de eu sentir dor. Eu jurei que se sentisse dor eu gritava. Funcionou: eu não tive dor e fiquei sem sentir barato. Comecei a viver de novo.
4- Nota importante: sentir barato é uma idiotice. Brigava com a minha razão as coisas que eu via. Eu tinha que ficar falando para mim mesma: calma, formigas rastejantes não existem....
5- Os enfermeiros ficaram nervosos porque eu tava sem remédio para dor e saiam correndo pelo corredor quando eu apertava a campainha. Era engraçado.
6-O bom de operar a coluna (se tem lado bom) é que a dieta é liberada. Comia carne assada, arroz doce, doce de leite, frango com cebola...... A hora feliz era a hora de abrir a bandeja e encher a pança. Comer é entretenimento.
7- Ser piadista nessas horas é bom. Enfermeiras ficam à sua volta direto, enquanto os pacientes resmunguentos ficam sozinhos.
8- Fiquei tão amiga das enfermeiras que elas desenhavam corações nos meus curativos.
9- O pote nojento foi definitamente para o lixo. Mas quando estávamos convivendo ( não sabia se podia jogar fora ou iam fazer algum exame da hérnia retirada) eu chamava aquela coisa de Bob. O médico deixou jogar fora depois que expliquei que não seria legal ter uma hérnia na geladeira ao lado do molho inglês e do catchup. Se fosse ainda uma pedra de rim, dava para enfeitar o jardim, mas hérnia de disco não servia para *&¨%$% nenhuma. Ele achou o argumento convincente.
10-Quando perguntei se a cirurgia tinha ido bem, o médico disse: "olha, o corte teve que ser maior, porque sua hérnia era o que eu imaginava, mas não o que eu queria que fosse". Vou dar um prêmio de oratória para ele. Não sabia que neurologistas eram bons de papo.
11- O japonês é danado para dar pontos. Ficou tão bonito que parece que fez com régua. Pena que repuxa e coça.Tadinho, dá prá ver o cuidado que teve: se vê claramente que ele fez um corte menor, e que depois teve que aumentar o buraco. Vou dar um troféu joinha prá ele por, apesar de tudo, ter tentando um corte menor. Pena que o Bob atrapalhou tudo.
E é isso meninos e meninas! Aproveito para dizer que, se quiserem me ver de pijama, a exposição vai até terça. Depois disso, vou correr pro abraço!!!!!!!!

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Hérnia de disco e minhas férias forçadas


Sim, uma coisa como essa daí em cima me deixou de cama.... Em partes! Porque não é uma coisa dessas que vai me parar totalmente. A hérnia está na coluna, está na estrutura, mas o sangue corre zunindo pelas veias, nutrindo o cérebro de ideias criativas. Uma perna está travada, mas a outra ainda dá seus pulinhos pela sala. E as mãos tem tempo para pintar e bordar, e assim distrair das dores horríveis que essa criaturinha provoca. Mas, sábado próximo, essa coisinha vai ser retirada. E se terei algumas restrições, por outro lado vou virar a rainha das piscinas, minha vida será menos louca, mas ainda assim cheia de emoções.
E com certeza vou ter outra visão de mundo, porque levar a vida na horizontal por alguns meses é para os corajosos!

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Mujer de negocios

Hoje descobri que posso sonhar com o que quiser. Que cresci muito nos últimos anos, meses e dias e que trabalhar 100% do meu dia me fez fazer 50 anos em 5.... meses.
Agora posso sentir que todo o esforço, todas as noites mal dormidas, todo o cansaço, tudo está valendo a pena, porque é um preço válido para chegar onde quero chegar.
Descobri que as pessoas de sucesso fazem as coisas que os fracassados não estão dispostos a fazer. Apaguei a palavra desistir: parar só quando o trabalho está terminado, não quando estou cansada.
Abdiquei muitas coisas, muitas floriram. Me sinto mais forte, sinto que posso tocar o céu com as mãos, e voar.... depois de tudo...... depois de tanto.... voar. Voar sem tirar o salto do chão.

terça-feira, 30 de março de 2010

Rennt, Damiana, Rennt


5h. O sol ainda não nasceu, mas meus dedos teclam loucos num computador ligado a toda. Abro um e-mail, chegam oito. Abro dois, chegam mais vinte. O sol nasce. Bebo um café, e meu corpo recebe a ducha fria. Visto a roupa de todo dia. Sapato, bolsa. Lápis no olho. Não sei porque sem lápis no olho me sinto cega.
Corro para o ponto do ônibus. No Sacomã lotado, anotar compromissos na mente, fervilhando ideias. Metrô. Lotado, claro. O Paraíso parece um inferno. Desço na Consolação, os passos firmes na avenida, a cabeça vai e volta nas milhares de coisas que eu posso fazer, que eu posso criar. Um sorriso no canto da boca. Cara crachá na recepção. Aula de espanhol na empresa. Coração na aula, cabeça na agenda.
9h30. Correndo para o Paraíso, que continua infernal. Estação da Luz. Corro para o trem. O balanço convida a um cochilo, mas e minha monografia! Meu Deus, minha monografia! E aquela tradução? E depois, aula, reunião, revisão! Não posso esquecer, reunião. Ligar para fulano, cicrano e beltrano, nessa ordem. Mandar e-mail para beltrano, cicrano, fulano. E o celular toca: uma, duas, três... mil vezes.
11h- Desço na estação. Corro para a escola. Meio milhão de coisas para fazer, hora de dar tchau. Me enfio no ônibus. Corro para São Bernardo. E celular, computador, reunião, agenda, telefone.
12h- mais aulas, mais coração apertado, mais cabeça cheia. não consigo entender como nós mulheres conseguimos fervilhar tantas ideias ao mesmo tempo. Mastigo alguma coisa enquanto escrevo uma citação para a monografia, que acaba virando um poema.
14h- sentada diante do computador, dedos em disparada, revisando, traduzindo, dando apoio a um amigo, tranquilizando o cliente desesperado de que sim, o prazo está bom, sim, vai dar tudo certo. As horas se passam, enquanto emendo um trabalho no outro.
18h- aula de espanhol. mastigo uma bolacha e sorrio. 20h30: sento numa mesa cheio de papel e penso que enloqueci. Comida para o peixe beta. Banho. 24h: fecho a lojinha e som o sentimento de missão não cumprida vou dormir. O sonho é bom não completo. Sonho bom é sonhar acordada. E eu vou vencer. Ah, se vou!

domingo, 21 de março de 2010

Yo tampoco quiero decirte adiós amiga


Amiga
Tenía que decirte que tardé unas semanas para comprender que habías viajado a otros lados más lejanos. Mismo viviendo en países diferentes, eras mi apoyo, mi luz, mi esperanza de días mejores. Cada palabra tuya las guardé en mi corazón, cada sentimiento, cada encanto, cada lágrima.
Pensaba aún recibirte aquí en San Pablo, llevarte conocer cada rincón, con la idea de que ese paseo te rendiera miles de inspiraciones para tus cuentos, haikus, sueños....
Ay Cristina, me duele tu partida, me siento triste y sin fuerzas, porque eras tu quien desde lejos me abria tus abrazos cuando necesitaba consuelo en los días grises.
No importa la distancia ni la diferencia de edad: eres mi hermana de alma. Soñaba con tardes de mate, canciones del Chaqueño y poesia. Soñaba llevar mi caja de papelitos de inspiración, para intercambiar con los tuyos.
Guardo las fotos hechas con sensibilidad y cariño, fotos de lunas, flores, de la vida. Te admiro amiga, siempre te admiré, y nunca tuve coraje de confesarte que soy grata a Dios por haberte encontrado en aquél autobus en que intercambiamos mails, poemas y sueños en la melacólica Buenos Aires.
La vida es triste porque lleva el tiempo de un suspiro y hay tanto que vivir! La vida es alegre porque me dió tu presencia, la alegría de recibir tus paquetes y cartas ( todas guardadas junto a los papelitos de inspiración).
Cristina, sé que donde andas no hay mail ni teléfono. Pero dejo mi corazón abierto para tus mensajes. Donde estés, no me dejes sóla amiga. Anda de mi lado, sigue escribiendo en las nubes, llenando el aire de palabras azules.
"Amigo es cosa para guardar
del lado izquierdo del pecho
Mismo que el tiempo y la distancia digan no
Mismo olvidando la canción
Lo que importa es oír la voz que viene del corazón
Pues sea lo que venir
Venga lo que venir
Cualquier día amiga, yo vuelvo para encontrarte
Cualquier día nosotras vamos encontrarnos"
(Milton Nascimento)

sábado, 6 de março de 2010

Pode vir!

Pode vir inveja
que estou armada até os dentes
Porque sou feliz e ninguém nem nada
Vai estragar essa paz que eu sinto agora

Pode vir que eu estou preparada
Para o que der e vier
Sei onde posso chegar
Sei das coisas que posso alcançar
e tenho fé e perseverança
o suficiente para lutar
pelo que eu acredito ser certo.

Vem aqui, vem!
Você vai ver que eu posso parecer fraca
mas minha mente é forte
Meu coração é grande
E minha alma maior
Minhas asas crescem
e o céu é infinito

Nada vai impedir a relização dos meus sonhos
Muito menos me fazer titubear...

Estou pronta!
Armada até os dentes
Porque nesta vida hay que endurecerse
Claro que sin perder la ternura
Pero hay que endurecerse.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

2010

Este é o primeiro ano que se inicia em que não estou com medo. Estou ansiosa, animada, cheia de energias. Acho que porque é o primeiro ano em que eu não estou atrás de um porta fechada sem saber o que tem do outro lado. 2010 eu vejo através da minha janela. E eu abri ela inteirinha para receber a luz e o calor deste ano que eu acredito que vá ser um ano muito especial.

Eu vejo meus 2010 iluminado nascendo trazendo muita felicidade, muito trabalho, muito aprendizado, amigos.... Esse é um ano diferente! Um ano em que vou conquistar minha paz interior, que quase posso sentir dentro de mim.

Feliz Ano Novo!!!!!!