domingo, 20 de fevereiro de 2011

Confissão

Todos os dias eu coloco a máscara de rir
para todo mundo
crianças, homens e mulheres
de fingir que está tudo bem
de fazer o papel de mulher maravilha
Porque eu tenho vergonha dos meus fracassos
da minha incapacidade de sobreviver nesse mundo mentiroso,
de curar minhas próprias feridas

Todos os dias eu sorrio no espelho,
mesmo chorando,
para tentar acreditar que posso ser feliz.

Fazer o quê?
Preciso acreditar uma vez mais.
Há outra opção por acaso?
Outra, que não seja se agarrar às raízes que ainda restam
e subir todo o abismo
chegar cambaleante lá em cima
e tropeçando andar
um pé após o outro
sem destino
com a roupa do corpo
e uns sonhos presos aos cabelos?

Sei que posso desistir.... Ficar lá nas entranhas das montanhas
deitar o corpo e esperar a brisa levar
o espírito que eu tenho dentro.

Ah, teimosia! Você não deixa!
Nunca sai de mim e me empurra
mesmo quando eu não quero ir
me faz viver mesmo quando quero morrer
me faz emendar dias e dias desperta
tentando ser feliz.



segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Saga da dor

Uma ferida imensa era o meu coração

Carne com nervos embolados

Sentindo tudo ao mesmo tempo

Doendo todas as dores

Lá no chão pequena

Chorando

Como uma criança sem rumo

Numa noite escura Deus ouviu meu desespero

E mandou um anjo nessa noite triste

Me dizer que a esperança é flor

e botou uma pequena semente em minhas mãos

E disse que se a gente rega e cuida

Ela cresce e ilumina

Ele me deu um sol para botar nos cabelos

E minha cabeça clareou as ideias

O anjo de Deus também tocou minhas feridas

Botou remédio

Disse que isso não tem jeito

Que tem que doer muito

Para eu ser mais forte um dia

O anjo tinha um olhar triste

Mas que tinha uma alegria escondida dentro.

E eu resolvi tentar um dia mais

A lutar contra a dor grande

Porque um anjo desceu do céu

A pedido de Deus

Para me dizer que apesar de doer muito

Ele está comigo.