Hora de ir embora



Tenho a impressão de que o sangue que corre em mim é cigano
porque não consigo sossegar em um lugar
Não porque não quero estar aí
mas sim porque tudo me empurra para fora
para a estrada
e o que me empurra me machuca
me arde
E toda dolorida volto a caminhar por ai
cabeça cansada
pele queimada de sol
Desorientada sem saber bem para onde ir
Mala pesada nos ombros
Sapatos apertando os pés
Para todo mundo sorrindo
Para dentro, lágrimas aprisionadas


Eu só queria colo, um abraço, uma defesa
Eu só queria não estar só

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Saturno

Espera