segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Xis


A vida é uma imagem instantânea
Uma fração de segundo congelado
Em um sorriso, em um encanto
Que efêmero termina

O que vale a pena
É o sorriso da moça
perdido na imensidão da janela
A nuvem decolando no telhado
Um assovio de canção

O que é feliz
É o abraço espontâneo
O frio da barriga
Do momento que antecede o gol.
Os olhos que contam aviões

7 comentários:

Deborah disse...

Quem bom poder ver seu sorriso de novo, minha miga!
A vida é maravilhosa. Bobo é quem não vê isso!!!
bjs!

Monica disse...

Puxa, Amélie, que encontro bom e que bonito é o seu blog. Estou feliz de ter encontrado a sua página e ter em você alguém parecida. Boas identificações. Grande abraço!

Effy Pellicèr disse...

como será o cotidiano de mais uma amelie poulain?

Tangerina disse...

Olha o Effy atravessando nos cometáários hahaha.

Lindo, como tudo que você escreve.
A propósito, minha vó te adorou.


=****

moacircaetano disse...

Adoro fotos de poste e fios de eltericidade...
metáfora da vida...
e adorei tua poesia!

Cristina disse...

Querida Damiana
Como siempre que tengo un ratito entro en tu blog...y lamento perderme algunas palabras de tu hermosa poesía.
Pero siempre algo queda en el alma y en el corazón.
Mi cariño porteño

Cristina
Buenos Aires

Anônimo disse...

Querida Damiana
No tengo mucha práctica en esto de los blogs, pero tu poesía es tan maravillosa como tu alma.
Un saludo porteño

Cristina Leveratto
Buenos Aires