sexta-feira, 2 de maio de 2014

Semeadura


Todos os dias, andando por aí
nosso coração vai 
sendo polinizado.

E assim vão nascendo sentimentos,
alegrias ou tristezas
em forma de semente.

Mas o que deve ser plantado
e o que deve ser carpido
somos nós que escolhemos.

Tem gente preguiçosa, 
que deixa erva daninha no coração.
Erva amarga da discórdia, da briga
da ira e da vingança.

Prefiro carpir tudo que não presta, 
gosto de deixar crescer a semente 
do amor e do perdão.
Gosto de semear o sorriso,
o abraço sincero.
Adoro particularmente
plantar a fidelidade e o carisma.

Dá trabalho carpir.
Mas o coração fica leve, 
e sobra espaço para se amar.



Nenhum comentário: