Os ombros suportam o mundo


As vezes o mundo é cinza. E aí eu volto a ser a menina medrosa encolhida debaixo da cama, esperando a chuva passar. Porque estes dias vem? Porque temos que nos sentir assim, encolhidos diante da vida? Calço os sapatos, mão na maçaneta, penso na possibilidade de não sair. Penso na possibilidade de adiar essa batalha diária.




Hoje eu me levantei angustiada. O trabalho pesado, as muitas folhas que eu sabia, tinha que terminar de revisar hoje, somava-se ao toque do telefone, aos muitos e-mails para responder.


Os prédios da Avenida Paulista pareciam estar ali indiferentes a tudo que acontecia, e a cidade me pareceu fria, cruel, apática. Parei, tomei um café. O tilintar da xícara no pires era irritante. Ao lado duas peruas discutiam moda, enquanto dois executivos discutiam a queda do dólar na bolsa. O que estava acontecendo com o mundo?

Comentários

Deborah disse…
Se você continuar, sai um romance!

bjs!!!
Pierre C. Cortes disse…
Dami,

Adorei este.
Reflete uma realidade dura do nosso cotidiano.
O mundo gira, nada pára e parece que as preocupações de algumas pessoas se resumem a pequenas coisas materiais.
Às vezes a gente é assim também.

Quem sabe um dia a gente melhora.

Beijos.

Postagens mais visitadas deste blog

Saturno

Espera