terça-feira, 15 de setembro de 2009

Sampa

São Paulo é concreto canto
carros, trens, tudo canta
melodia do barulho
e barulho é vida.
Buzinas pulsam
veículos desentupindo artérias
velozes por avenidas belas
esquinas conversadeiras.

Silêncios se deve carregar dentro
alimentar silêncios é
amar o deus que aí vive
Até que o silêncio cresça
e liberte a alma
para voar pelo eterno.

Mas estou viva
E louvo a sinfonia da cidade
O ruidoso viver.

Nenhum comentário: