La soletudine

Sozinha
sinto a beleza das coisas
com mais identidade
A estrela lá longe
fica aqui tão perto
O vento brinca caracoleando
os caracóis soltos.
As cores vem de dentro de mim mesma
Como se o mundo todo
morasse dentro do meu coração
e refletisse em ondas
pelas nuvens
no horizonte tão infinito.
Até parece que o coração dos outros
me dá um olá meio sem querer
o estranho fica com um sorriso
meio envergonhado
E a estrela, ah essa brilha mais que nunca
como se me convidasse para um minuto de prosa
apertando minhas mãos
me convidando para voar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Saturno

Espera