Vrum Vrum Vrum


Às vezes os pensamentos congestionam
E eu corro sem controle.
Os pés cansam
o coração finge endurecer
tudo para disfarçar
que não dou conta de digerir
meus própios pensamentos.

E a vida agita
trabalho
planos
As horas passam
num tique e taque acelerado
E a sensação de não dar conta
angustia, paralisa, faz chorar

Por isso é bom fazer loucuras
de vez em quando
de vez e sempre
para dar férias ao tempo
deixar ele passar livre
enquanto da janela
me dá alegria admirar
o colorido que pode ter
uma gota de chuva
no vidro de um taxi parado
no trânsito da mais paulista das avenidas
Descongestionamento interior.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Saturno

Espera