terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

UTOPIA


Tenho muitos nomes. Sou aquele que traz o sonho e marca os homens com seus ideais. Sou o que carrega dentro de si todas as possibilidades, toda a força necessária para vencer os inimigos. Sou as infinitas possibilidades guardadas em um cofre, cofre este que se abre com a chave da integridade. Sou o motivo das buscas, o pretexto para as batalhas por justiça. Alguns dizem que sou a ilusão do horizonte que se levanta, trazendo boas idéias. Outros dizem que sou fantasia, que alimento a alma dos homens com algo que eles não conseguem ver, somente sentir. A burguesia esbraveja dizendo que sou engano, que enlouqueço cabeças humanas, porque as afasto do sonho do capital medíocre para fazer humanos voarem com asas mais verdadeiras e de maior alcance. Dizem também que sou deslumbramento, atraio cabeças ingênuas para dentro de mim, fazendo com que se encantem com suas próprias preciosidades de forma a desejar compartilhar com o outro a sua própria beleza interna, presenteando o semelhante com o colorido belo de sua própria alma. Os gregos, me chamavam Ou-topos ou seja, lugar nenhum, porque o que sou não é materializado em um lugar designado e especificado. Estou em todos os lugares e, ao mesmo tempo, em lugar nenhum. Sou o lugar onde tudo fica bem. Sou o anúncio de novos tempos, em que a Igualdade de bens prevaleça à Ambição, onde o dinheiro não existe e portanto, não pode desvalorizar o trabalho do homem. Mas sou acima de tudo um ideal, acima de credos, religiões, acima das misérias humanas . Sou aquele que permite sonhar de olhos abertos. Sou o que possibilita o homem enfrentar e vencer suas próprias indignidades. Sou Utopia.

Nenhum comentário: