quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Urbanóide



Ouvidos atentos a qualquer zumbido
Alerta a qualquer perigo
A caminho de lugar nenhum,
O coração pulsando incomum.

Vagando a procura do trânsito
Que me soa como um belo cântico
Insone, mesmo sem motivo
Buscando enfim, um novo ânimo.

Protegido pelo concreto de teus prédios
Encontro coragem para sonhar
Envolvido por teu povo sério,
Me encontro em um outro olhar.

O caos organizado
O céu anuviado
O verde acinzentado
Contemplo, sonho acordado.



Um comentário:

Solferino disse...

nossa!
que louco, no inicio o titulo do meu blog era Urbanóide, gosto do termo :)

adorei seu blog
=*