domingo, 16 de setembro de 2007

Eu?



Eu, nacionalista?
Só amo minha terra
Porque me pariu!

Eu, socialista?
Só olho por quem
Olha por mim!

Eu, anarquista?
Se emudeço o grito
Na garganta!

Vida artista!
Papéis invertidos,
Vidas trocadas...

Um comentário:

Anônimo disse...

tus poemas son bellos. Tienen la belleza de la profunda sensibilidad. Como gotas de lágrimas con un cielo dentro
buenísimos!