quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Moça Tecelã

Palavras nascem de meus dedos,
Entremeios, sonhos, paixões
Que saem sem rodeios.
Espanta-me suas novas conexões.

Vou assim aliviando minha dor
Que se esvai em hieróglifos perdidos.
Vou assim levando a vida com amor,
Construindo sonhos antes esquecidos.
Escrevo com raios de sol
Nas noites mais escuras
Ligando todas as estrelas
Até a branca lua.

Escrevo com meu olhar
Nas mais diversas cores
Em uma linha reta,
Da minha vida, os dissabores.

Vou tecendo aos poucos os caminhos
Que desejo reencontrar.
Com a linha da eternidade,
Quero o mundo decifrar.

Nenhum comentário: